Enquadramento

“think about a new world”

O Imaginarius – Festival Internacional de Teatro de Rua de Santa Maria da Feira chega à sua 17ª edição com foco na sociedade, na criação artística contemporânea e na capacitação criativa. Num ano único de afirmação internacional de Santa Maria da Feira como a Cidade das Artes de Rua e de Portugal como um país emergente no centro da dinâmica de circulação europeia no setor, o Imaginarius coorganiza e acolhe o FRESH STREET#2, o maior seminário internacional para profissionais das Artes de Rua.

A afirmação do setor em Portugal cruza-se, assim, com a evolução e o posicionamento do festival Imaginarius à escala internacional, abrindo portas a uma edição única no que às oportunidades para profissionais do setor diz respeito e ao desenvolvimento de novas abordagens criativas e de exploração estética e sensorial do espaço público.

De 25 a 27 de maio, o centro histórico de Santa Maria da Feira volta a transformar-se num palco único de experiências para todas as idades. Com um programa artístico que concetualmente coabita na antítese entre a cegueira e a luz, o Imaginarius apresenta, em 2017, um conjunto de propostas artísticas de todo o Mundo que nos farão refletir a sociedade e a nossa forma de ser e estar no planeta. Um percurso através da reflexão social e do modus vivendi da atualidade dá o mote a uma edição que explora o espaço urbano nas suas diversas camadas, oferecendo ao público experiências diferenciadas, através de múltiplas abordagens e reflexões artísticas.

A criação artística contemporânea continua a ser o eixo central de pensamento criativo do Imaginarius, oferecendo a artistas consagrados e emergentes a oportunidade de trabalhar e expressar a sua linguagem estética numa cidade aberta à experimentação e inovação de conceitos e técnicas artísticas.
Uma vez mais, o centro histórico de Santa Maria da Feira respira, durante 3 dias, um ambiente único e internacional, com a presença de mais de 400 artistas de 13 países, numa dinâmica profissional alargada que consagra mais de 30 nacionalidades já registadas no seminário FRESH STREET#2, que acontece em paralelo ao festival. A forte aposta no desenvolvimento de oportunidades de criação artística e de exploração da estética contemporânea para o espaço público refletem-se em 11 estreias absolutas e 23 estreias nacionais, dentro dos 41 espetáculos e intervenções que compõem o programa. O intenso alinhamento materializa 140 apresentações e 9 instalações efémeras.

A capacitação e o envolvimento são também eixos fundamentais, com destaque para o workshop de intervenção urbana dos brasileiros Desvio Coletivo, que termina com duas performances no festival, permitindo a participação dos formandos. Por outro lado, o festival sueco Lights in Alingsas promove um workshop de light design para o espaço público que culminará com a apresentação de instalações de luz que marcarão as noites do festival em diferentes locais da cidade. Em antecipação, estes projetos traçam o percurso antagónico dos elementos centrais desta edição, que vai ao interior de cada um de nós, explorando memórias, feridas e sentimentos, capazes de se transformarem em projetos artísticos contemporâneos para o espaço público.

A comunidade sénior de Santa Maria da Feira volta a juntar-se a Joana Vasconcelos na comemoração do 10º aniversário da “Donzela”, uma peça única e simbólica que uniu e volta a juntar a comunidade em torno de um projeto artístico, pensado para o ex-líbris da cidade: o Castelo. Também a comunidade escolar tem a oportunidade de se manifestar artisticamente, através de dois projetos distintos (MANIFESTO e REFLEXO), capazes de abraçar diferentes faixas etárias e conquistar um novo espaço para o Imaginarius Infantil, trilhando um caminho de aproximação do artista à escola e aos jovens, e simultaneamente promotor do pensamento crítico e difusor de novas linguagens artísticas.

A coprodução como o derradeiro eixo de desenvolvimento artístico e económico, colocando artistas locais em contacto direto com congéneres de outros países e desenvolvendo oportunidades de participação e difusão internacional, marcou os últimos anos, materializando-se em 2017 numa oportunidade única de experimentação. Fruto de uma parceria do Imaginarius com a FiraTàrrega (Catalunha, Espanha), um grupo de jovens criadores portugueses e catalães trabalhou sobre as feridas da sua memória, sob direção de Julieta Aurora Santos. Uma aventura artística e conceptual que marca os dois festivais e coloca Portugal em foco no maior festival de rua espanhol.

O Imaginarius dá, ainda, espaço a consagrados criadores e companhias à escala internacional, oferecendo ao público português a oportunidade de contactar com os vultos da criação artística para o espaço público e as suas mais recentes produções. Assim, numa viagem ao sonho metafórico da sociedade perfeita, Theater TOL apresenta no Imaginarius o espetáculo de grande formato Pedaleando Hacia el Cielo, num jogo de emoções e sensações que nos guiam por entre os obstáculos e elementos obscuros da sociedade de hoje, conquistando o céu como anjos que pedalam nas nuvens e nos guiam aos nossos objetivos.

Numa abordagem à ascensão social e ao bloco de betão como elemento central e estrutural das cidades de hoje, NoFit State Circus e Motionhouse trazem pela primeira vez a Portugal o espetáculo BLOCK. Uma aventura onde o circo e a dança competem pelo protagonismo, transportando-nos para uma viagem em torno de metas, obstáculos e conquistas. Mas afinal o que acontece depois de atingirmos um objetivo?

O Mais Imaginarius reforça a sua dimensão e importância internacional ao receber 190 candidaturas de 38 países para a edição 2017. Serão 20 as propostas em apresentação no concurso internacional de criações de artistas emergentes para o espaço público, que após avaliação do júri internacional terá um vencedor. À semelhança de Cia. Moveo, este regressará em 2018 com uma criação em residência para estreia no Imaginarius. Conseqüències é, então, fruto do regresso a Santa Maria da Feira dos catalães Moveo – vencedores do Mais Imaginarius 2016, partindo das consequências das novas ações quotidianas para o reflexo do estado social atual. Um espetáculo físico e intenso que nasce em Santa Maria da Feira fruto de consequências…
A luz como elemento de união e propagação de emoções sociais contrasta com o negro e a escuridão da competição e da ascensão ao poder, materializando um lado social mais aberto e criativo, apto a outras manifestações. Em 2017, o Imaginarius explora, ainda, a luz como elo de conexão social, com foco na instalação e na arte pública, como elementos de provocação e reflexão crítica das cidades de hoje.

A FAHR 021.3 pensou no centro histórico da cidade e na sua ligação patrimonial envolvente para o desenho de uma peça original que ocupará a cidade durante várias semanas. CANOPY é uma estrutura geométrica, leve e ténue, que marcará prismas e pontos de vista, ao mesmo tempo que altera a visão diurna e noturna e nos obrigará a observar de novos ângulos.

O Imaginarius é, ainda, um festival de experiências, tal como Architects of Air nos proporciona com a presença de uma escultura da coleção LUMINARIUM. Túneis de luz caleidoscópicos acomodam o público no seu interior para uma viagem intimista e introspetiva ao interior de nós mesmos.

Um festival aberto, acessível, introspetivo e provocador. Um espaço de oportunidade social e cultural. Um mundo de opções estéticas e artísticas. Uma metáfora dos princípios morais da sociedade contemporânea. O Imaginarius abre a porta a novos Mundos!


NÚMEROS DO FESTIVAL
400 artistas
13 países
49 companhias ou projetos artísticos
41 espetáculos/intervenções
2 Workshops
9 instalações de arte pública
5 residências artísticas
10 criações imaginarius
11 estreias absolutas
23 estreias nacionais
140 apresentações ou intervenções artísticas
3 dias