Artistas emergentes voltam a ter palco no Imaginarius

Em 2018, o Imaginarius – Festival Internacional de Teatro de Rua de Santa Maria da Feira volta a dar espaço a artistas emergentes de todo o mundo, através do concurso de criações artísticas dirigidas ao espaço público Mais Imaginarius. O período de candidaturas decorre de 9 de outubro a 31 de dezembro de 2017.

O Mais Imaginarius é uma secção do festival Imaginarius que desafia os artistas, nacionais e internacionais, para a apresentação de propostas que abordem o espaço público nas suas mais diversas perceções, testando formatos e modelos, rumo à construção de novas identidades artísticas.

A diversidade, número e qualidade dos projetos que têm sido apresentados a concurso no Mais Imaginarius, ao longo dos últimos anos, revelam a vontade dos artistas em ocupar o espaço público de Santa Maria da Feira e de se expressarem através múltiplas linguagens.

Na edição 2018, o Mais Imaginarius continua a assumir-se como um espaço de experimentação artística dentro da programação oficial do festival Imaginarius, explorando a intervenção artística no espaço público e permitindo a participação de diversas linguagens artísticas: Teatro; Dança; Música; Circo; Performance; Intervenção; Instalação; Arte Digital; Novos Media; Graffiti; e Multidisciplinar.

Os projetos a concurso serão avaliados com base na qualidade artística, criatividade, inovação e interação com o público. Os resultados da seleção serão divulgados até 10 de fevereiro de 2018.

Os artistas e companhias selecionados beneficiarão de apoio para deslocações, alimentação e alojamento, apoio técnico e divulgação das criações nas redes do festival, participação no espaço profissional Imaginarius PRO.

Todos os projetos admitidos ao Mais Imaginarius 2018 serão candidatos a um prémio final a atribuir pelo júri, através de votação, que se contextualiza pela realização de uma criação em residência a estrear na programação oficial do festival Imaginarius em 2019.

O júri do programa Mais Imaginarius 2018 será composto por: Alexandra Moreira – DECA, Universidade de Aveiro; Isabel Bezelga – Universidade de Évora; Bruno Pereira – Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo do Porto (ESMAE); Jordi Duran, diretor artístico da Fira Tàrrega (Espanha); Jens Frimann Hansen, diretor artístico do Passage International Street Thatre Festival (Dinamarca); e Julia von Wild, diretora artística do Tête-à-Tête, Rastatt’s International Street Arts Festival (Alemanha).