Projetos selecionados para a Roundabout Europe

Os cinco principais parceiros da Roundabout Europe fizeram a sua seleção para a primeira edição do projeto que visa incentivar e manter o circuito de residências e festivais de artes ao ar livre na Europa. Os cinco projetos selecionados são: Capital WOMEN, de Léa Dant (Fr); Black Market, de LUIT (Fr); Dummy Run, de BANDART Production (Hu); Hang out, de Eliška Brtnická (Cz); e Catch Me, de Upswing (Reino Unido).

As candidaturas foram enviadas por 147 candidatos de 19 países de todo o mundo e avaliadas com base nos seguintes critérios: alta qualidade, um plano artístico forte e convincente, necessidade de capacitação e profissionalização, forte desenvolvimento de público e inclusão de grupos sub-representados, facilidade de viajar, fazer digressão e acolher.

Sobre as produções selecionadas

Capital WOMEN, de Léa Dant / Cie Théâtre du voyage intérieur (França)

Léa Dant vai criar um conjunto de atuações chave que podem ser adaptadas e realizadas localmente em diferentes países por vários grupos de mulheres. As atuações terão as mesmas mensagens centrais, mas variarão de acordo com os grupos específicos de mulheres que as recriam.

O projeto é baseado numa visão muito forte e sensível sobre o poder das mulheres, tema que não é frequentemente encenado no panorama artístico ao ar livre. Além disso, trabalha com a população local, garantindo a construção de um forte vínculo com o público.

Residências: Passage Festival (Dinamarca), Spoffin Festival (Holanda)

Black Market, de LUIT – Urban Workaty of Temporaries Interventions (França)

Misturando os códigos dos negociantes e comerciantes, o espetáculo questiona a nossa permissão para desejarmos fora dos quadros da sociedade consumidora. Falar torna-se um “lugar” onde arriscamos. Cada cena é literalmente negociada com o público – os atores desconcertam a oposição entre artistas e público.

O projeto oferece uma nova forma de atuar num mercado. Existem mercados em todos os países europeus, mas todos diferem uns dos outros. Portanto, podemos esperar eventos completamente diferentes em cada país onde Black Market será encenado.

Residências: Imaginarius (Portugal), Passage Festival (Dinamarca)

Dummy Run – The Science Friction Show, de BANDART Production (Hungria)

Este espetáculo vai representar a oposição entre um ser humano e uma criatura técnica. O conceito é construído sobre dois personagens: Alfred, o inventor, e Ann, o robô curioso. Robôs reais serão usados na atuação, bem como adereços robóticos automatizados.

O conceito desta atuação é muito visual e aberto ao público jovem. Torna-a ainda mais interessante o facto de o trabalho com robôs reais ser muito raro no panorama das artes ao ar livre. Em 2020, a tecnologia será o principal tema do KoresponDance Festival, onde a BANDART Productions se apresentará.

Residências: Out There (Reino Unido), KoresponDance (República Checa)

Hang Out, de Eliška Brtnická (República Checa)

Este projeto é uma investigação sobre arquitetura com um equipamento aéreo que questiona as fronteiras dos locais. Existem vários pontos em cada vila e cidade onde as pessoas não querem ou não podem ir. Ao entrar nesses lugares, Eliška Brtnická, com o seu trabalho, levanta questões sobre temas como proibição, permissão, fronteira, perigo ou responsabilidade.

Trata-se de um projeto muito refrescante, novo e ousado, que abre uma nova abordagem de trabalho específico do local.

Residências: Out There (Reino Unido), Spofin Festival (Holanda)

Catch Me, de Upswing (Reino Unido)

Catch Me mistura instalação visual com performance, incorporando acrobacias, dança e manipulação de objetos. O projeto trabalha com dois artistas profissionais: um jovem artista de circo e uma dançarina mais velha, ao lado de pequenos grupos de aposentados, participantes não profissionais.

Este projeto trabalha com dois artistas de grande perícia e mostra que os dançarinos mais velhos ainda podem ser profissionalmente muito bons. Além disso, a combinação de jovens e idosos chama atenção para questões importantes.

Residências: KoresponDance (República Checa), Imaginarius (Portugal)

Todos os artistas e grupos artísticos selecionados participarão em duas residências organizadas pelos parceiros do festival. Foi adicionado um novo elemento ao programa depois dos principais parceiros constatarem que a maioria dos artistas tem os mesmos problemas e perguntas ao nível prático. Por isso, o programa começa com uma reunião comum de três dias em Santa Maria da Feira, Portugal, de 9 a 11 de maio de 2019.