PT | EN | LGP

ACESSO GRATUITO | FREE ACCESS

Enquadramento

O Imaginarius – Festival Internacional de Teatro de Rua de Santa Maria da Feira apresenta um percurso extraordinário, alcançando, em 2019, a sua 19ª edição, e um posicionamento de destaque enquanto maior evento de Artes de Rua realizado em Portugal. Esta relevância faz do Festival Imaginarius o primeiro local de contacto e difusão nacional das artes de rua mais atuais, mais provocadoras e mais aliciantes do panorama nacional e internacional. A este destaque associa-se uma responsabilidade e compromisso acrescidos para com os artistas, a comunidade e os públicos.

A maturidade artística que o Festival trouxe a este território permite-lhe olhar para a relação da arte com o espaço público de uma forma mais atenta e estratégica. Tendo em perspetiva a memória do Festival ao longo de quase duas décadas, torna-se cada vez mais claro que, mais do que um evento, o Imaginarius está a transformar-se num lugar. Um lugar que se estende no tempo e no espaço, que cruza fronteiras e une territórios.

Estende-se no tempo e no espaço, garantindo um ciclo contínuo de criação artística suportado em residências, conversas e ações de capacitação alicerçadas no Imaginarius Centro de Criação e alargadas ao conjunto de equipamentos culturais e espaços públicos do território. Desenvolve uma ligação ativa às comunidades de artistas, de estudantes, mas também de educadores e de moradores, num contexto cada vez mais diferenciador, gerador de oportunidades de experimentação, aprendizagem, reflexão e participação.

Cruza fronteiras, desenvolvendo ações que promovem a acessibilidade social, intelectual e física destas comunidades aos conteúdos e aos espaços. Une territórios, trabalhando para a descentralização, articulando-se em redes e parcerias locais, nacionais e internacionais.

Com um respeito cada vez maior pela comunidade e pelo território que o acolhe e o desafia, o Festival é um momento de celebração cultural e artística que intersecta o universo local, nacional e internacional. A esta transição espacial e territorial adiciona-se, nesta edição, o foco especial na transição temporal e do real/ficção, olhando para a Memória como elo de ligação entre o passado, o presente e o futuro, mas também entre o real e o imaginado.

Programa 2019 em síntese

A edição de 2019 assume como mote agregador o tema da Memória. Não como fixação estática de um passado, mas como processo contínuo de revisão do que se valoriza como património, de transmissão de conhecimento do presente e de projeção de outras realidades (reais e/ou imaginadas), através da criação e interpretação artística. Nesta edição, o Festival transforma-se, à luz da metáfora da Memória, num lugar acessível, desafiante e acolhedor, construindo, nas suas várias dimensões, narrativas de encontro e partilha, de criação e de capacitação.

A memória é, desde logo, contentor de abrigo – lugar ao qual regressamos para sabermos onde pertencemos e onde não pertencemos, cujas narrativas arquivadas, construídas individualmente e coletivamente, se constituem como elementos de coesão e mobilização social. Essas memórias inscritas cruzam-se com a instantaneidade do mundo de Hoje, num exercício avassalador face à profusão de informação, desafiando a própria perceção. Alternando realidade e ficção, as memórias do Hoje elaboram e fundem outros mundos, mundos ficcionados, onde tempos e realidades distantes, utópicas e distópicas se podem encontrar.

Nesta edição dedicada à Memória, que traz a si a valorização do património material e imaterial, a Biblioteca Municipal, o Centro de Criação, o Cineteatro António Lamoso, os Claustros do Convento dos Lóios, o Museu Convento dos Lóios e também as Casas de Moradores do Centro Histórico são lugares destacados para apresentação de projetos que requerem uma contextualização particular, quer pela linguagem intimista, quer pela especificidade das narrativas.

A programação de 2019 explora a simplicidade e a complexidade da Memória nas suas várias camadas de interpretação emocional e artística. Com um canal direto, individual e coletivo de experienciação humana, o público será desafiado a viajar pelas suas próprias memórias, “trazendo-as para palco”, numa relação de proximidade com as narrativas artísticas que são apresentadas.

Em 2019, o Festival Internacional de Teatro de Rua de Santa Maria da Feira traz 247 artistas oriundos de 12 países, para 3 dias de festival. Um programa interventivo e ativo que, através de 11 processos de residência artística, provoca e questiona a sociedade atual. Neste contexto, 46 companhias/artistas apresentam 43 diferentes espetáculos capazes de nos conduzir a novos mundos e outros contextos, através de 196 apresentações ou intervenções artísticas. Neste panorama global de programação, 13 são estreias absolutas e 28 são estreias nacionais.

E porque a edição de 2019 não se esgota nos dias 23, 24 e 25 de maio, nos 20 dias que antecedem o Imaginarius, novos lugares e espaços do concelho recebem cinco projetos artísticos diferentes – 140 Mil Memórias, O Que Contam as Estátuas, China Series e Combat d´Coq, O Bairro do Pinóquio, Memória por Isaura –, com o intuito de democratizar o acesso ao festival em geografias diversas. Uma programação Pré-festival que promete surpreender o público com 112 horas de conteúdos alusivos à temática da Memória, levados a cabo por 9 companhias portuguesas, italianas, sérvias, holandesas e austríacas.

Colocando a tónica numa aposta cada vez maior no apoio à Criação Artística e na geração de novas oportunidades de exploração de linguagens artísticas para agentes locais, nacionais e internacionais, esta edição apoia 11 Criações Imaginarius.

O FESTIVAL EM NÚMEROS
3 dias de festival
247 artistas
12 países
Austrália, Bélgica, Eslováquia, Espanha, França, Holanda, Irlanda, Itália, Portugal, Reino Unido, Sérvia e Turquia
46 companhias/ artistas
43 espetáculos/intervenções
11 residências artísticas
12 criações imaginarius
3 instalações de arte pública
2 workshops
2 exposições
13 estreias absolutas
28 estreias nacionais
196 apresentações ou intervenções artísticas
229 horas de conteúdos de programação

CATEGORIAS DE PROGRAMAÇÃO DO FESTIVAL
PROGRAMAÇÃO OFICIAL
Programação Principal | Imaginarius Infantil | Criações Imaginarius | Mais Imaginarius 2019 | Ligações

MUNDO IMAGINARIUS
Imaginarius Pro | Imaginarius OFF | Imaginarius Acessível | Sabores Imaginarius | Mercado Imaginarius | Meeting Point

Estreias Pré-Festival

Com um programa de estreias alargado, a começar nos primeiros dias de maio, a mostra de projetos artísticos prévios ao Festival Imaginarius, com temas ligados à Memória, inclui os seguintes projetos:

140 Mil Memórias
O que contam as estátuas
China Series e Combat d´Coq
O Bairro do Pinóquio
Memória, por Isaura

O primeiro sábado de maio abre a programação do Festival com apresentações no Museu Convento dos Lóios e no Museu de Santa Maria de Lamas. O projeto “140 Mil Memórias”, que teve o seu primeiro ciclo de apresentações, na edição de 2018, regressa ao Imaginarius com novas formas. Este projeto artístico trabalhou a memória coletiva, através de histórias recolhidas por todo o concelho de Santa Maria da Feira. Histórias que surgiram do encontro de pessoas que querem preservar memórias e saberes e pessoas que são elas próprias memórias vivas. No decorrer desse processo, foi lançado o desafio para a construção de abordagens artísticas inspiradas nessas memórias e na memória enquanto espaço de cruzamento entre o passado, o presente e o futuro. O Museu Convento dos Lóios inicia, na tarde do primeiro sábado de maio, o acolhimento das primeiras intervenções que, durante o Festival, crescem e se estendem a outros espaços. Já à noite, e no dia em que se assinalam os 60 anos (1959-2019) da doação de Henrique Amorim deste espaço museológico e espólio à Casa do Povo de Santa Maria de Lamas, o Museu de Santa Maria de Lamas recebe a Companhia Persona com o espetáculo “O Que Contam as Estátuas”. A proposta da Companhia é dar vida à memória que os territórios guardam nos museus, nas ruas e praças, através de um espetáculo que cruza diversas linguagens artísticas: videomapping, música, teatro e dança contemporânea.

No âmbito de uma residência artística partilhada entre dois projetos a solo – “China Series”, de Julian Vogel, e “Combat d’Coq”, de Josef Stiller, – realizada durante o mês de maio, no Imaginarius Centro de Criação e no Cineteatro António Lamoso, a companhia KLUB GIRKO realizará dois momentos de apresentação em cenários distintos. A partir de materiais desafiantes, a cerâmica e o bambu, e com inspiração no infantil “Jogo do Galo”, desenvolve-se uma relação de construção e desconstrução, de equilíbrio e desequilíbrio, entre o público e os objetos.

A primeira apresentação, a 15 de maio, integra a programação do À4Há, do Cineteatro António Lamoso; a segunda, que inclui uma conversa aberta com os artistas, realiza-se no sábado anterior ao festival, no Imaginarius Centro de Criação.

No dia 18 de maio, à noite, o foco vira-se para o Empreendimento Habitacional do Ferradal, com O Bairro do Pinóquio, a nova criação da ORQUESTRA CRIATIVA DE SANTA MARIA DA FEIRA, desenvolvida no âmbito da candidatura Erasmus+ “PINOCCHIO JOINS THE ORCHESTRA (on S.TR.E.E.T.)”.

Partindo da história original de Carlo Collodi, “As Aventuras do Pinóquio”, desenvolveu-se um trabalho criativo de interpretação da história, a partir das vivências dos habitantes verdadeiros ou imaginados, na tentativa de a transportar ao séc. XXI. Um espetáculo musical em resultado dos numerosos laboratórios de composição de músicas originais, de escrita-poesia e de cinema de animação, que cruza a memória do conto com a atualidade.

Na véspera do festival, teremos um espetáculo dedicado aos seniores, MEMÓRIA, POR ISAURA, de Isaura Santos.  Através de um livro, de uma performance e de temas musicados pela Isaura, e tendo como ponto de partida o conteúdo do livro, o público terá oportunidade de debater e trabalhar os diferentes tipos de Memória.

Programação Principal

O programa do Festival Imaginarius 2019 reflete a complexidade da Memória, explorando as suas várias dimensões e estados.

A designada Programação Principal constitui o núcleo central a partir do qual gravitam os restantes eixos de trabalho que compõem o completo Imaginarius. Trata-se do núcleo central pois é aqui que se faz uma declaração do que se perspetiva, hoje, como a mais pertinente produção internacional e nacional das artes de rua. É a construção de um discurso curatorial que posiciona o Imaginarius na cena artística nacional, influenciando o debate e tendências.

CLOSE-ACT THEATRE [NL] / Globe
FHEEL CONCEPTS [FR] / Hold On
OCKHAM’S RAZOR [UK] / Belly of the Wale
EFIMER [ES] / La Gran Tempesta
ALWAYS DRINKING MARCHING BAND (ADMB) [ES] / La Calle es Nuestra
SALTO [PT] / The Last one to Grab Fall First | Criação Imaginarius
Dra/Mat [PT] / William Shake(this)pear | Criação Imaginarius

As memórias mais antigas e saudosas que o ser humano guarda são as que se vivem na infância. Colocando o mundo nessa perspetiva, a companhia holandesa convidada, CLOSE-ACT THEATRE traz-nos, com o espetáculo GLOBE, a repressão social à imaginação e à liberdade, vividos com a metáfora do desejo de voar. O cenário deste conflito é um globo gigante, com um ambiente energético, que envolve trapezistas, dançarinos, atores, músicos, projeções e pirotecnia, numa dinâmica constante de interação com o público.

O confronto que cada pessoa pode ter com as suas memórias, despertando o medo, mas também o poder perante uma mudança, é a reflexão que a companhia OCKHAM´S RAZOR, do Reino Unido, nos promete em Belly of the Whale. Uma estrutura gigante, semicircular, feita de aço e madeira, vai-se metamorfoseando: catapultas, túneis, escorregas, montanhas… criando, no limite, ao som de rangidos e gemidos, espaços e lugares imaginários.

No universo das brincadeiras, The Last One to Grab Fall First, da SALTO – International Circus School, recorre ao tradicional jogo das cadeiras para refletir sobre a premissa de que em sociedade não há oportunidades iguais para todos e também que, na vida real, todos corremos para a primeira cadeira livre, sendo que o último a agarrar é o primeiro a ficar para trás.

A imersão no mundo do circo contemporâneo, através de uma experiência visual de realidade virtual, é o que a companhia francesa FHEEL CONCEPTS nos oferece em Hold On. Garantindo a sensação mágica de, por um momento, o espectador se sentir um artista, consiste numa oportunidade única para descobrir as diferentes emoções experienciadas em palco: a noção de risco, a alegria, a adrenalina e o perigo.

Com a promessa de despoletar memórias divertidas, os espanhóis ALWAYS DRINKING MARCHING BAND, com o projeto La Calle es Nuestra, apoderam-se das ruas e praças para contagiar o público com a interpretação musical de um reportório alegre, com temas que vão desde as versões de músicas atuais, bem conhecidas do grande público, até temas originais da própria banda, tocados por músicos de alta qualidade e acompanhados por gags surrealistas que transformam o espetáculo numa experiência singular e emotiva.

Desafiando o público para uma experiência sensorial, La Gran Tempesta, da companhia espanhola EFIMER, promete a entrada num mundo imaginário, onde ventos e tempestades são nada mais que provocações que nos tornam mais fortes. Uma cúpula transparente cheia de ar, luzes, música e confetes transporta-nos para outra realidade, com a garantia de que quem olhar de fora admirará a sua beleza, mas só quem entrar conseguirá sentir a sua magia.

O que ficará na memória dos mais jovens, nesta edição do Festival, é o desafio do Imaginarius Infantil, que abre ao público um mundo de realidades e experiências: a possibilidade de participar, integrar e experimentar o espaço, as técnicas e fazer parte do evento; a possibilidade de criar um percurso e acompanhar o ritmo ao longo de uma viagem sensorial; a possibilidade de “caçar” memórias, sujar as mãos, andar de joelhos e observar a cidade de um outro ponto de vista; a possibilidade de abrir um baú de memórias, cheio de histórias, partilhadas por personagens comoventes e envolventes; a possibilidade de criarmos uma memória coletiva como um fio indelével de experiências que unem artistas e espetadores, de um tempo em que fomos felizes enquanto assistimos à chegada do maior espetáculo do mundo.

A possibilidade de alargar as margens da experimentação e da inovação artística foi o desafio que o Festival lançou a entidades e artistas locais, nacionais e internacionais, realizando, nesta edição, uma maior aposta nas Criações Imaginarius.

O vencedor do Mais Imaginarius 2018, CIE. DU PAON, vem da Turquia para a estreia absoluta de CURVE, uma composição de movimentos que conta uma estória sobre a maior maldição da humanidade: envelhecer.

A Chamada de Apoio à Criação Local duplicou o número de artistas vencedores, passando de duas para quarto criações absolutas. Ao repto lançado, com base no tema da Memória, responderam 16 propostas de grande qualidade. Durante o Festival serão apresentadas as quatro: uma instalação, Simulacro (podia ser realidade), do Arquiteto Pedro Henrique, e três performances, Cães de Rua, do artista Sérgio Conceição, As Baquetas Misteriosas, da associação Fórum Ambiente e Cidadania, e À Procura do Autor, do Grupo de Teatro Experimental do Centro de Cultura e Recreio do Orfeão da Feira. Complementares nas suas abordagens, exploram diferentes camadas da dimensão humana, tocando as ligações sociais e afetivas e o poder da memória, da imaginação e da comunidade, abordando temas incontornáveis, como a igualdade e a desigualdade social.

No Imaginarius Infantil, duas criações absolutas são apresentadas: Viagem de Memórias! Percurso Sonoro pelas Terras de Santa Maria, de Daniel Padrão, que convida ao embarque numa experiência sonora narrada por músicos e contadores de histórias, e Nas Alturas | Oficina de Artes de Circo – Aéreos da SALTO – International Circus School, um circuito de experimentação para superação de desafios e conquista do impossível.

Dando continuidade às apresentações do 140 Mil Memórias, com início nos primeiros dias de maio, no Museu Convento dos Lóios, durante o festival duas estreias absolutas são apresentadas: Reencontro II de JEANNETH VIEIRA, apresentado no Claustro do Convento dos Lóios e || … (Duas Linhas e Três Pontos) – 2º Andamento, de FRANCISCO OLIVEIRA, para experienciar na Eira do Orfeão.

Ainda no apoio à criação nacional, William Shake(this)pear, da companhia Dra/Mat, aborda a ocupação, a itinerância e o refúgio de uma comunidade que vive como contadora de histórias, carregando o peso de séculos de memórias.

Do universo das redes internacionais, Roundabout Europe é um projeto internacional para a construção de um circuito de residências artísticas entre cinco festivais. Apoiado pelo Programa Europa Criativa, tem como objetivo profissionalizar o meio artístico inerente às artes de rua, oferecendo, aos artistas e companhias, experiência e formação para a criação de uma carreira sustentável, económica e rentável, sem perda dos valores artísticos. Tendo como parceiros mais quatro festivais – Korrespondance [CZ], Passage [DK], Out There (UK) e o Spoffin [NL] –, o Imaginarius, através do seu Centro de Criação – Arte e Espaço Público, vai acolher, durante dois anos, quatro projetos europeus em residência. O primeiro, Black Market, da companhia francesa LUIT – Laboratoire Urbain d’Interventions Temporaires, inicia o processo de residência em maio, em Santa Maria da Feira, para apresentação durante o festival, trazendo para a rua um lado negro da sociedade e das transações comerciais.

Assumido como plataforma internacional de experimentação para artistas emergentes, o concurso Mais Imaginarius recebeu, para a edição de 2019, um total de 186 propostas de 40 nacionalidades, em 7 disciplinas artísticas, das quais 20 serão apresentadas nos 3 dias do festival. O vencedor da competição deste ano será convidado a criar, em residência, um novo espetáculo para estreia na 20ª edição do festival.

Numa dimensão de complementaridade à criação artística, o Mundo Imaginarius contempla um trabalho dedicado à capacitação, à mediação, à promoção e à acessibilidade, enquanto valores e práticas cada vez mais pertinentes no nosso território e nas nossas comunidades.

Na secção Imaginarius PRO, dedicada a profissionais, o ecossistema criativo local, nacional e internacional, encontra um espaço dedicado ao contacto profissional e ao networking, despoletado a partir de apresentações dos seus projetos perante uma plateia de profissionais do setor cultural e artístico.

O Imaginarius posiciona-se, assim, como agente promotor da interdisciplinaridade entre diversas linguagens artísticas, da aprendizagem e consolidação de competências, e da coesão social pelo fomento da acessibilidade nas suas várias dimensões – social, intelectual e física.

Este posicionamento tem transformado Santa Maria da Feira num palco vivo onde, cada vez mais, todos podem participar noutros modos de experienciar o território.

Imaginarius Infantil

Um espaço específico da programação para o público infantil, com temáticas, horários e espaços ajustados a esta faixa etária. O Imaginarius Infantil é um projeto de formação de novos públicos que, mantendo a identidade do festival, estimula nas crianças a vontade de fruir, pensar e intervir no espaço público. Os espetáculos, workshops e experiências a realizar no Festival permitirão aos participantes descobrir outras formas de ver e sentir a realidade.
O Imaginarius Infantil traça um perfil mais vasto nos dias de festival, trabalhando ao nível da rede escolar, em ações dirigidas a faixas e grupos específicos, com vista ao reforço do contacto deste público com o mundo artístico, ao despertar do interesse criativo e a ações concretas de capacitação.

EL SIDRAL [ES] / Heliko
CIA. CLOWN POÉTICO [ES] / Hojas al Viento
MIGUEL HORTA [PT] / Caça Texturas
DANIEL PADRÃO [PT] / Viagem de memórias! Percurso sonoro pelas Terras de Santa Maria
SALTO – International Circus School [PT] / Nas Alturas | Oficina de Artes de Circo – Aéreos

Criações Imaginarius

O Imaginarius reforça o seu programa de apoio à criação artística contemporânea para o espaço público, que se materializa numa plataforma integrada de suporte aos processos criativos, com uma visão mais alargada de envolvimento, mediação e capacitação, bem como com uma intervenção crítica e criativa externa em diferentes fases dos processos artísticos. O reforço do contexto de criação em residência conquista novas fronteiras, com 12 novos projetos distintos em termos dramatúrgicos, conceptuais e estruturais.

Prémio Mais Imaginarius 2018
CIE. DU PAON [TR] / Curve

Chamada de Apoio à Criação Local (CACL)
FÓRUM AMBIENTE E CIDADANIA [PT] / As Baquetas Misteriosas
GRUPO DE TEATRO EXPERIMENTAL DO CENTRO DE CULTURA E RECREIO DO ORFEÃO DA FEIRA [PT] / À Procura do Autor
SÉRGIO CONCEIÇÃO [PT] / Cães de Rua
PEDRO HENRIQUE, ARQUITETO [PT] / Simulacro (podia ser realidade)

140 Mil Memórias
FRANCISCO OLIVEIRA [PT] / || … (Duas Linhas e Três Pontos) – 2º Andamento
JEANNETH VIEIRA [PT] / Reencontro II

Roundabout Europe
LUIT – Laboratoire Urbain d’Interventions Temporaires [FR] / Black Market

Imaginarius Infantil
DANIEL PADRÃO [PT] / Viagem de Memórias! Percurso Sonoro pelas Terras de Santa Maria

Programação Principal
SALTO – International Circus School [PT] / The Last One to Grab Fall First
Dra/Mat [PT] / William Shake(this)pear
COMPANHIA PERSONA [PT] / O que Contam as Estátuas

Mais Imaginarius

Mais Imaginarius é uma secção do Festival Imaginarius que pretende dar espaço a artistas emergentes com vontade de apresentar o seu trabalho em contexto de festival, através de um concurso de criações artísticas. Esta secção lança o desafio aos artistas para a apresentação de propostas que abordam o espaço público, nas suas mais diversas perceções, testando formatos e modelos, rumo à construção de novas identidades criativas.

AGNĖ MURALYTĖ [ES] / Gaze
CLARA CORTÉS SOLER [ES] / The Secret Daughter of Che Guevara
COLLECTIF KABOUM [FR] / Système D
BELLOABRIL * THEATRE OF COINCIDENCES [AU] / The Pilgrim – Miniature Immersive Experience
CIA. VAYA [PT] / Atempo
CIE DÉDALE DE CLOWN [FR] / Drôle D’impression
DIEGO SINNIGER [ES] / Dis-Connect
CLAUDIO MUTAZZI [IT] / Street Coffee
CIE O QUEL DOMMAGE [BE] / Room Service
DOLLY BOMBA [IT] / Fuori Porta
JEAN ROLLAND [FR] / Brain Music
HANDS SOME FEET [BE] / Hands Some Feet
CIA. ES [ES] / Tei Tei
CIA. IO [ES] / Cuatro [4´´] Segundos
CUT MOOSE [UK] / God Save the Tea
CIA. MÁS TIL Y MENOS TAL [ES] / Petén
CIKADA CIRCUS [IE] / Cikada
KIMANI [ES] / Cospress
MARLON BANDA [IT] / Marlon Banda Show
ZUSKA DROBNA [SK] / Ballade For a Place We Were